Ordenar por:

Notícias

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) impugnou, na noite desta terça-feira (19), a operação de compra do controle acionário da All Chemistry, distribuidora de insumos farmacêuticos, pela SM Empreendimentos, que pertence ao grupo holandês Fagron e também distribui insumos farmacêuticos. A autarquia esclareceu que, mesmo tendo impugnado a operação, recomenda sua aprovação desde que seja celebrado um acordo em controle de concentrações (ACC) entre as companhias. Segundo o documento, os termos propostos pelas partes no ACC constituem um instrumento suficiente para mitigar os impactos concorrenciais. Mantidas sob sigilo, existem cláusulas no contrato que tem por objetivo desonerar o Cade de monitorar o cumprimento, ou não, das condições concorrenciais, incluindo a imposição de remédios. Ainda segundo o parecer, as ações de monitoramento implicariam em altos custos para a autarquia. Como uma forma de auxiliar na fiscalização, o ACC será divulgado publicamente pelas empresas, possibilitando o acompanhamento por outras companhias que poderão avaliar se as propostas estão sendo cumpridas ou não.

19/02/2019 22h47

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) julga na quarta-feira, dia 17, o auto de infração envolvendo a venda da Mantecorp para a Hypermarcas. O laboratório foi comprado em 2010, por R$ 2,5 bilhões. A transação, estruturada para fins de sucessão familiar, envolveu dinheiro e ações e foi feita por meio de fundos abertos de investimento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

16/10/2018 10h58

Uma planta poderosa, capaz de reduzir drasticamente convulsões em pacientes epiléticos, melhorar o apetite e ansiedade dos clinicamente depressivos e combater dores crônicas de reumatismos e doenças associadas às juntas, e também de movimentar negócios bilionários, mercados e ações, gerando empregos e lucros. A cannabis sativa, para além do mercado (ainda ilegal em muitos países) de seu uso recreativo, tem atraído cada vez mais investidores, que estão empenhando capital no crescente mercado de produtos à base de canabidiol, um dos princípios ativos da maconha e de uma planta da mesma família, o cânhamo. Esse princípio ativo, mais conhecido como CBD, é utilizado em diferentes preparos terapêuticos, como óleos analgésicos para reumatismos, por exemplo.

17/09/2018 06h00

A farmacêutica japonesa Takeda disse nesta sexta-feira (14) que recebeu aval do órgão regulador de mercado da China para comprar a biofarmacêutica irlandesa Shire, o que representa mais um passo importante no processo. As informações são da agência de notícias Reuters. 

14/09/2018 12h51

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) determinou que a SM Empreendimentos Farmacêuticos submeta a aquisição da All Chemistry do Brasil à análise da autarquia em até 30 dias. A operação foi anunciada ao mercado em outubro de 2017, mas não foi previamente notificada à autoridade concorrencial, que soube do caso por meio de denúncia.

05/09/2018 18h19

A rede de farmácias Drogaria Mais Econômica acusa a BR Pharma, sua antiga controladora, de ter fraudado demonstrações contábeis para esconder seu verdadeiro passivo trabalhista. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a empresa protocolou um pedido no processo de recuperação judicial da BR Pharma para que débitos não inclusos no plano sejam reconhecidos.

16/05/2018 11h34

Após quatro tentativas frustradas, a japonesa Takeda Pharmaceutical conseguiu finalmente emplacar sua oferta para comprar a biofarmacêutica irlandesa Shire por 46 bilhões de libras (US$ 62 bilhões) nesta terça-feira (8). O valor deverá ser pago em dinheiro e ações. O acordo depende da aprovação dos acionistas de ambas as empresas.

08/05/2018 12h21

Avaliada atualmente em US$ 33 bilhões, a japonesa Takeda Pharmaceutical não desiste de comprar uma empresa duas vezes maior que seu valor. Em sua quinta tentativa para adquirir a biofarmacêutica irlandesa Shire, a companhia de fármacos recebeu uma resposta positiva da empresa. 

27/04/2018 17h27

A Itaúsa, holding que controla o banco Itaú, vendeu o controle da Elekeiroz para o fundo de investimentos Kilimanjaro em uma operação que prevê a realização de uma oferta pública de aquisição (OPA) obrigatória e parte do pagamento atrelado a resultados (earn-out). A transação se trata da venda de 96,5% do capital social da EleKeiroz pelo valor base de R$ 28,9 milhões. As cifras são resultantes do valor atribuído à empresa alto (enterprise value) de R$ 160 milhões menos seu endividamento líquido, calculado em R$ 130 milhões.

27/04/2018 16h46

Com uma dívida bruta superior a R$ 1,3 bilhão, o plano de recuperação judicial do grupo Brasil Pharma prevê a venda de uma série de ativos para que a companhia pague credores e se concentre apenas na rede de franquias Farmais. Divulgado ao mercado nesta quarta-feira (11), o documento estipula a criação de unidades de produção independentes (UPIs) para a alienação de pontos comerciais e lojas das redes Big Ben e Santana.

11/04/2018 17h17

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.