Assine
Ordenar por:

Notícias

Empresários chineses estão aguardando os próximos passos do presidente eleito Jair Bolsonaro para definirem suas estratégias de negócios no Brasil, segundo informações da Reuters. A China, que desde 2003 já realizou projetos de investimento de cerca de US$ 54,1 bilhões e tem mais US$ 70,4 bilhões em projetos anunciados, é uma das maiores parceiras comerciais do Brasil, sendo grande compradora de insumos produzidos aqui, como minério de ferro e soja.

06/11/2018 18h14

A partir de janeiro de 2019, o Programa de Parceria em Investimentos (PPI) do governo de Michel Temer será assumido pelo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), com toda a estrutura e equipe prontos para começar a trabalhar. A equipe do PPI ficará vinculada à Presidência da República e terá autonomia de ministério. O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, já declarou que tem interesse em comandar o grupo, no entanto sua indicação ainda não foi confirmada por Bolsonaro. As informações são do jornal Folha de S.Paulo. 

05/11/2018 16h02

As empresas que podem ser privatizadas no governo Jair Bolsonaro podem gerar de R$ 120 bilhões a R$ 170 bilhões para a União, o que contribuiria para reduzir a dívida soberana, segundo projeção feita pela agência de classificação de risco S&P Global Rating. As informações são do jornal Valor Econômico.  

31/10/2018 15h51

A eleição de Jair Bolsonaro no domingo (28) deve destravar um volume de ao menos US$ 33 bilhões, o equivalente a cerca de R$ 122 bilhões, em transações no mercado de capitais, incluindo operações de fusão e aquisição. A estimativa foi feita para o Valor Econômico pela equipe de análise de mercado da Bloomberg.

30/10/2018 18h52

A União gastou R$ 20,175 bilhões para manter as empresas estatais funcionando em 2017, segundo dados divulgados pelo Tesouro Nacional, na segunda-feira (29). De acordo com o documento, cerca de R$ 14,84 bilhões do valor foram gastos com custeio das empresas, investimentos e salários de funcionários, chamados de subvenções.

30/10/2018 16h56

O primeiro dia útil após a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial foi marcado pela volatilidade na bolsa de valores e com o destaque de analistas de mercado para os desafios da próxima gestão. Apesar das expectativas de que o presidente eleito adote uma estratégia econômica liberal, a incerteza quanto à capacidade de articulação política do próximo mandatário desperta preocupações entre as consultorias especializadas em risco. Nesse cenário de cautela, o Ibovespa fechou a segunda-feira (29) com queda de 2,24%, 83,79 mil pontos, e a cotação do dólar registrou alta de 1,39%, aos R$ 3,72.

29/10/2018 20h32

Com o segundo turno da eleição presidencial marcado para o próximo domingo (28), as propostas dos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) para o sistema tributário brasileiro são observadas com atenção por consultores e empresas. A expectativa é de que quem quer que saia vitorioso mobilize, já no início do governo, sua equipe e aliados para tentar avançar com mudanças no sistema de impostos como parte dos esforços para fechar a conta entre gastos e arrecadação pública. Enquanto os candidatos estudam os meios de promover o ajuste fiscal, a classe empresarial avalia o impacto dessas medidas em suas estratégias tributárias.

24/10/2018 06h00

Com a ausência de debates em que os presidenciáveis pudessem expor e confrontar com mais clareza suas posições, tanto Jair Bolsonaro (PSL) quanto Fernando Haddad (PT) tentaram comunicar seus planos ao mercado via programa de governo, entrevistas e redes sociais. Um dos assuntos centrais postos para o próximo governo é o rumo que tomarão as privatizações de ativos valiosos, sobretudo da Petrobras e da Eletrobras.  

22/10/2018 06h00

O candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou ser contra a privatização de ativos no setor de geração de energia elétrica e que quer manter nas mãos do governo o “miolo” da Eletrobras e da Petrobras. As declarações foram feitas na noite de terça-feira (9) durante entrevista à TV Bandeirantes e provocaram uma reação imediata do mercado no dia seguinte. As ações da Eletrobras caíram 9% e as da Petrobras, 2,87%, na quarta-feira (10) - a tendência de queda se manteve na quinta-feira (11). 

11/10/2018 16h27

Para o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, independentemente de quem assumirá o cargo de presidente do Brasil em 2019, não há possibilidades para mudanças na política de subsídios do banco. “Isso acabou. Não há volta”, disse Oliveira em entrevista à Coluna do Broadcast/Estadão. Oliveira, que foi ministro do Planejamento de maio de 2016 a abril de 2018, avalia que as mudanças no BNDES durante o governo de Michel Temer vieram para ficar. Durante os governos do PT, os empréstimos do banco foram usados fortemente como mecanismo de estímulo a grandes empresas, as “campeãs nacionais”, com taxas subsidiadas. Para Oliveira, não há mais espaço no Orçamento do governo federal e nem para uma alteração na Taxa de Longo Prazo (TLP), que substituiu a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) na correção dos empréstimos do banco. Desde 2016, o BNDES passou por uma recauchutagem com a criação da TLP.

08/10/2018 13h10

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.