Volume de operações cai 11,79% em abril

Valor total agregado também apresenta queda, demonstra relatório TTR

Por Isabella Miranda - redação@lexisnexis.com.br

O volume total de transações e o valor agregado apresentaram quedas em abril, em comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo o relatório mais recente do Transactional Track Record (TTR). O valor total agregado caiu para 21,46% e o número de transações atingiu 344 operações representando uma queda de 11,79%. Dessas operações, 198 delas foram no setor de M&A, seguido por asset acquisition (70), venture capital (56) e private equity (20).  

O setor de tecnologia despontou, acumulando 18 transações em abril. No comparativo anual ele totaliza 82 operações. Mesmo com tantas transações, o setor tecnológico cresceu apenas 1%, o que pode ser justificado pela queda de 30% das aquisições estrangeiras no setor, que registraram somente 21 operações. Mesmo com um menor número de operações, cerca de 28, o crescimento de real estate foi significativo, atingindo 17%. Neste mês, essa categoria de investimento realizou apenas oito operações.

Paralelamente, o número de empresas estadunidenses que adquiriram empresas brasileiras apresentou queda de 44%, com apenas 28 transações. O resultado foi melhor para os fundos estrangeiros de capital privado e de capital de risco que investem em empresas brasileiras, mesmo registrando 10 operações, com diminuição de 16,67% no índice, o menor número registrado entre os investimentos estrangeiros no Brasil.  

A venda da Transportadora Associada de Gás (TAG) foi considerada, em termos financeiros, a maior transação do mês, ao arrecadar aproximadamente R$ 28,438 bilhões. Até então de posse da Petrobras, a TAG foi vendida para a Engie, Caisse de dépôt et placement du Québec (CDPQ). A operação que ficou em segundo lugar foi a compra do Campo Petrolífero Tartaruga Verde, Módulo III do Campo de Espadarte, pela Petronas Petróleo Brasil. O campo também era de propriedade da Petrobras e foi vendido por cerca de R$ 5,115 bilhões. O deal do mês foi a compra da Multiplus pela LATAM Airlines Brasil, que ofereceu aproximadamente R$ 1,023 bilhão pela companhia de soluções de pagamento.

O Pinheiro Neto ficou em primeiro lugar no ranking de assessores jurídicos pelo número de transações, contabilizando 17 operações e R$ 6,895 bilhões negociados. O segundo lugar ficou com o Veirano Advogados, com 15 transações e R$ 4,536 bilhões, e o terceiro com o Mattos Filho, que acumulou 10 transações e R$ 9,284 bilhões negociados. Já no ranking de montantes financeiros movimentados pelas operações, o BMA ficou em primeiro lugar com valor total de R$ 33,491 bilhões, seguido pelo Machado Meyer e seus R$ 30,833 bilhões e em terceiro lugar o Tauil & Cherquer, que movimentou R$ 29,984 bilhões.                  

Confira a íntegra do relatório aqui

Acesso restrito. Faça seu login .

Este conteúdo é exclusivo para assinantes Lexis 360

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.