TTR registra queda de 20,48% em operações no primeiro trimestre de 2019

De 233 operações analisadas, apenas 145 são M&A

Por Isabella Miranda - redação@lexisnexis.com.br

O Transactional Track Record (TTR) registrou, no primeiro trimestre de 2019, uma queda no número de transações de forma geral, em comparação com o último levantamento realizado no último trimestre do ano passado. As 233 operações elencadas no levantamento, apontam uma diminuição de 20,48% nos negócios. O número é menor do que o registrado no último trimestre de 2018, que contou com 305 operações. As cifras também diminuíram, atingindo um patamar 56,03% menor do que o registro passado, atualmente o valor movimentado se encontra em R$ 29,471 milhões.

O nicho de M&A foi responsável por 145 das 233 operações levantadas dentro do período estudado, movimentando cerca de R$ 18,288 milhões. O setor foi seguido em número de operações por asset acquisition (41), venture capital (37) e private equity (10). Considerando apenas as na última categoria, houve uma queda de 54,55% em comparação com o período anterior. Dessas operações, seis delas já foram completadas, representando 60% da quantidade total. O valor total agregado foi de R$ 2,865 milhões, cifra esta que, apesar de alta, demonstra uma diminuição de 35,86%. As operações cross-border nessa categoria atingiram nove, enquanto houve apenas uma operação doméstica.

Em contraponto, as operações domésticas no segmento de venture capital demonstraram um número maior, totalizando 26 transações, de um total de 37 negociações, que geraram R$ 63 milhões. Três delas ainda estão se desdobrando e devem ser responsáveis por R$ 10 milhões da cifra total. Os deals cross-border se mantiveram presente com um total de 11 operações e movimentação financeira aproximada de R$ 518 milhões. 

O número de negócios no setor de asset acquisition subiu 13,89%, chegando a 41 operações e se tornando a segunda maior categoria neste levantamento. Já foram completadas 29 delas, cerca de 71% do total, até o momento já foram arrecadados R$ 7,736 milhões, uma queda de 49,44% em comparação ao ano de 2018. Desses números apresentados, 28 operações aconteceram no país, de forma doméstica e atingiram R$ 4,710 milhões.

As negociações nas quais brasileiros compraram ativos no exterior (outbond), totalizaram 16 operações com movimentação de valores aproximados a R$ 2,615 milhões. Já as compras nas quais as targets são brasileiras e os compradores são estrangeiros (outbound), o número atinge expressivas 58 negociações, que injetaram cerca de R$ 16,398 no mercado.  

Encerrando o relatório, a TTR elegeu a compra da New Steel, por aproximadamente R$ 1,879 milhões, feita pela Vale S.A., como a transação do primeiro trimestre. Assessorada pelo Madrona Advogados, a Vale comprou a companhia de beneficiamento de minério de ferro da Hankoe FIP, que contou com o auxílio jurídico do BMA e do Norton Rose Fulbright Netherlands.

Acesso restrito. Faça seu login ou cadastre-se agora.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes Lexis 360

Cadastre-se gratuitamente

para ter acesso por 7 dias

ou

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.