Citi prevê crescimento no setor de M&A e de receita no Brasil

Receita anual no Brasil deve passar para US$ 1,5 bilhão

Por Isabella Miranda - redação@lexisnexis.com.br

Marcelo Marangon, presidente-executivo no Brasil do Citigroup, afirmou que o Citi espera que a receita anual no Brasil cresça de US$ 1,1 bilhão para US$ 1,5 bilhão nos próximos anos, por meio de negócios com assessoria de venda de ativos públicos e através de um renascimento dos mercados de capitais. Segundo informações da Reuters, o executivo não teria estipulado um prazo para a concretização da meta. Paralelamente, o responsável pela área de banco de investimento do Citi Brasil, Eduardo Miras, acredita que o mercado de fusões e aquisições ficará mais aquecido no segundo semestre de 2019. Para o executivo, as conversas sobre esse segmento voltaram à tona após as eleições em outubro passado.  "Depois das eleições, as conversas em torno de transações de M&A foram retomadas. A perspectiva é de mais anúncios de operações a partir do segundo semestre deste ano", disse Miras, segundo informações do Diário da Indústria e Comércio (DCI). Uma das áreas na qual o Citi prospecta movimentações é a de empresas públicas. Esta ação é alinhada com o discurso privatizador adotado pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). As vendas mais rápidas de ativos do governo devem ser de participações de bancos estatais, como o BNDES e a Caixa Econômica Federal, em empresas de capital aberto.

Acesso restrito. Faça seu login .

Este conteúdo é exclusivo para assinantes Lexis 360

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.