Governo deve aumentar número de emissões em 2019

Para o Santander, operações envolvendo estatais vão movimentar o ano

Por Isabella Miranda - redação@lexisnexis.com.br

Uma avaliação do banco de investimentos do Santander Brasil aposta que o mercado de capitais brasileiro será movimentado durante o ano de 2019, com um principal responsável pelas operações, o governo. Em entrevista ao Valor, Paulo Mendes, chefe do banco de investimentos reiterou essa premissa. “Empresas ligadas ao governo devem responder por metade ou até mais da movimentação do mercado de ofertas de ações brasileiras”. Engrossam a quantia operações que já foram anunciadas anteriormente, como a capitalização da Eletrobras, vendas de participações detidas pela Caixa e IPOs de divisões de negócios que o banco declarou intenção de fazer, venda de posições da carteira da BNDESPar, entre outras. Para o vice-presidente do Santander, Jean Pierre Dupui, a diminuição do governo deve movimentar o mercado de dívidas corporativas. “Conforme o governo diminui de tamanho, vai movimentar ações e dívida”, disse o executivo. Na avaliação de outros membros do banco, o mercado de dívidas deverá servir para financiar concessões e privatizações na área de infraestrutura, como aeroportos, estradas, portos e ferrovias.

Acesso restrito. Faça seu login ou cadastre-se agora.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes Lexis 360

Cadastre-se gratuitamente

para ter acesso por 7 dias

ou

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.