Ex-assessor e sócio do Pinheiro Neto são cotados para direção da CVM

Alexandre Rangel e João Marcelo Pacheco seriam cogitados para cargo

Por Marina Hernanz* - redação@lexisnexis.com.br

De acordo com fontes ouvidas pelo jornal Valor Econômico, o próximo diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deve ser um advogado com experiência no mercado de capitais. Os dois nomes que circulam no mercado para a sucessão de Pablo Renteria, atual diretor, são o de Alexandre Rangel e João Marcelo Pacheco.

Rangel já foi assessor do colegiado da CVM, entre 2002 e 2004, e do Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN), de 2008 a 2010. Ele tem mais de 15 anos de experiência com temas relacionados à regulação e a fundos de investimento. Em 2015, Rangel fundou seu próprio escritório de advocacia, o Costa Rangel Advogados. Já Pacheco é sócio do escritório Pinheiro Neto Advogados há mais de duas décadas. Ele é especialista na área de fusões e aquisições. Em janeiro do ano passado assessorou o Banco do Brasil e o Bradesco na operação em que os bancos venderam 70% da Stelo para a Cielo.

As indicações estariam partindo da equipe econômica do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e também do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Oficialmente, a indicação para a CVM parte do presidente da República e é levado à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal, que realiza uma sabatina com o escolhido.

*Com supervisão de Gabriela Freire Valente

Acesso restrito. Faça seu login .

Este conteúdo é exclusivo para assinantes Lexis 360

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.