Governança e instabilidade política pode prejudicar processos de privatização estaduais

Conjunto de estatais de três estados têm faturamento anual de R$ 107,8 bilhões

Por Isabella Miranda - redação@lexisnexis.com.br

Mesmo que gerem boa receita e atraiam investidores nacionais e estrangeiros, as empresas estatais vinculadas aos governos estaduais podem enfrentar dificuldades em seus processos de privatização. Em entrevista ao Diário do Comércio e Indústria (DCI), Sérgio Lazzarini, professor de estratégia do curso de administração do Insper, apontou que problemas de governança nessas companhias podem prejudicar a atratividade desses ativos. “Em geral, a percepção é de que as estatais federais se organizaram melhor e melhoraram sua governança de forma mais intensa nos últimos anos, muito em função do trabalho da secretaria de estatais [SEST]”, disse.

O risco político que envolve os governos dos estados também afeta os processos. Segundo o DCI, as 72 estatais presentes nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná possuem conjuntamente um faturamento anual de R$ 107,8 bilhões, lista a economista-chefe da Reag Investimentos, Simone Pasianotto. A economista ressalta que “Já tem muita gente na fila de espera das privatizações estaduais. Investidores estrangeiros e nacionais”.

Acesso restrito. Faça seu login ou cadastre-se agora.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes Lexis 360

Cadastre-se gratuitamente

para ter acesso por 7 dias

ou

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso ao Lexis 360

Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.
Campo obrigatório.